Águas de Matão realiza atividade no mês da consciência negra

Postado por debora.ferneda em 25/nov/2019 - Sem Comentários

O tema Colorismo integra a pauta de discussões de novembro
As questões relacionadas à equidade e igualdade racial são trabalhadas diariamente pela Águas de Matão, por meio do programa Respeito Dá o Tom. Para isso, a empresa conta com um comitê que tem a missão de promover atividades com a finalidade de fortalecer as políticas de Diversidade instituída em todo grupo Aegea Saneamento. No mês em que se comemora o Dia da Consciência Negra, a concessionária intensificou as ações com o objetivo ampliar a reflexão sobre o tema.
A mais recente atividade envolveu uma roda de conversa com os colaboradores, que abordou o tema “Colorismo”, que dentro da ótica racial, consiste na discriminação que ocorre pela cor da pele e é muito comum em países que sofreram a colonização europeia e em países pós-escravocratas. Em um contexto mais simplificado, o termo quer dizer que, quanto mais pigmentada uma pessoa, maior é a exclusão e o preconceito que essa pessoa pode sofrer.
O tema abordado ampliou os debates sobre a questão, uma vez que muitos colaboradores desconheciam o conceito. A explanação possibilitou o compartilhamento de experiências apresentadas por profissionais da empresa que se sentiram à vontade para expor as situações presenciadas e vivenciadas dentro da ótica do Colorismo.
Para o programador de Serviços, Leonardo Araújo da Silva, membro recém integrado ao Comitê, trabalhar esse tipo de ação é essencial para proporcionar a consciência da igualdade como um todo, independentemente de cor de pele, raça, credo, gênero ou classe social.
“A experiência possibilitou aprofundar meus conhecimentos sobre o tema. Por já ter vivenciado situações de preconceito racial, a oportunidade de compartilhar com os colegas de trabalho as experiências adquiridas pelo programa foi fantástica”, relata Leonardo.
Além da roda de conversa, ao longo do mês, a concessionária expõe nos principais pontos de circulação das unidades operacionais, um mural com reflexões acerca do tema.
RESPEITO DÁ O TOM – O programa da Aegea Saneamento foi lançado oficialmente em 26 de setembro de 2017. Seu objetivo maior é promover a equidade nas oportunidades de acesso à empresa e de crescimento profissional dos colaboradores que se autodeclaram pretos e pardos. Também, possui a intenção de que o ambiente de trabalho, as atividades cotidianas e os projetos da empresa estejam livres de racismo, preconceitos, discriminações e atitudes que comprometam a postura de respeito, tolerância e cordialidade.

Importância da mulher negra na sociedade é tema de palestra na Águas de Matão

Postado por debora.ferneda em 30/jul/2019 - Sem Comentários

Símbolo de luta e resistência, ao longo dos anos a mulher negra vem trilhando uma longa trajetória em busca de oportunidades e de uma sociedade mais igualitária. Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher Negra, latino-americana, caribenha, celebrado no último dia 25, esse assunto foi pauta de reflexão na Águas de Matão. O Comitê de Igualdade Racial da empresa preparou uma atividade especial para debater o tema com os colaboradores.
A ação, que integra as atividades do Programa Respeito dá o Tom, envolveu uma palestra proferida por Alessandra Laurindo, socióloga, vice-presidente do Conselho Estadual de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra e Consultora de Políticas Públicas.
Durante o bate-papo, a socióloga abordou as questões relacionadas à importância e a maneira como a mulher negra se destaca na sociedade, diferenças salariais e cargos, violência, atendimento médico e preconceitos ainda vivenciados neste século, após 131 anos de abolição da escravatura.
A apresentação destacou a história de Tereza de Benguela, estrategista militar e dirigente política considerada rainha, que assumiu a liderança do quilombo Quariterê logo após a morte de seu esposo, José Piolho, e se tornou uma importante força entre a comunidade composta por 79 negros e 30 índios, resistindo à escravidão por quase duas décadas. Em 2014, foi sancionada a lei 12.987, que instituiu o dia 25 de julho como o Dia Nacional da Tereza de Benguela e da Mulher Negra.
Segundo a socióloga, é fundamental que as empresas estabeleçam programas de incentivo à diversidade e fomentem o debate sobre a questão da equidade racial para que, desta forma, o colaborador seja um agente multiplicador destas temáticas.
“É importante que as empresas tenham esse olhar, principalmente da diversidade da inclusão do negro no mercado de trabalho, e trabalhem temas como esse, fundamentalmente nesta época na qual comemoramos o dia da mulher negra. Com essa percepção, é possível mover todas as estruturas e movimentar a consciência do funcionário para que ele multiplique o assunto com os vizinhos, família, amigos e, desta forma, trabalhe a desigualdade não só no âmbito corporativo, mas em outras áreas como educação, saúde, cultura e todos os temas que foram abordados aqui”, enfatiza Alessandra.
De acordo com o supervisor de Responsabilidade Social e membro do Comitê, Paulo Guerreiro, a atividade partiu do princípio de valorizar e enaltecer a luta da mulher negra ao longo da história. “Para essa ação, o Comitê trabalhou com o propósito de ampliar o debate sobre a contribuição histórica da mulher negra ao longo dos anos para a construção de uma sociedade mais igualitária, dando luz a fatos e evidências que, por inúmeros motivos, acabaram se perdendo ou nem sempre foi retratado com a importância que o caso merecia.  Além disso, buscamos com essa atividade valorizar a importância da mulher em um âmbito geral e resgatar o sentimento de orgulho e pertencimento deste grupo”, explica o supervisor

Plenário da Câmara Municipal recebe exposição Zumbi

Postado por debora.ferneda em 14/Maio/2019 - Sem Comentários

Os trabalhos foram desenvolvidos pelos colaboradores da concessionária em parceria com a Casa do Pequeno Cidadão

Nesta semana em que a abolição da escravatura no Brasil completa 131 anos, a Águas de Matão propõe à população uma reflexão sobre as questões relacionadas ao preconceito, diversidade e igualdade racial por meio da “Exposição Zumbi”, que estará disponível para visitação no Espaço Cultural “Maria José Bozelli Ciarlo” da Câmara Municipal, até o final do mês.

Idealizada pela área de Responsabilidade Social, a mostra contempla a seleção de obras produzidas pelos colaboradores da concessionária em parceria com os estudantes da Casa do Pequeno Cidadão, que por meio de telas em branco, puderam expressar suas percepções acerca do tema.

A ação que integra as atividades do Respeito dá o tom, programa de diversidade e igualdade racial implementado nos 49 municípios de atuação da Aegea Saneamento, foi planejada com o objetivo de promover a percepção sobre o preconceito e a importância do debate em relação à equidade racial.

Alunos do projeto Casa do Pequeno Cidadão na produção dos quadros

 Sobre a exposição

Composta por 15 telas produzidas coletivamente, a Exposição Zumbi conta com a participação de instituições parceiras da Aegea Saneamento e que desempenham importante trabalho social, como o Núcleo de Atenção e Orientação Terapêutica ao Trabalho – Naott (Holambra), a Casa do Pequeno Cidadão Jardim Paraíso (Matão) e a Casa do Hip Hop (Piracicaba), especialmente selecionadas em cada uma das cidades de atuação da Regional SP.

O resultado culminou na Exposição Zumbi, que percorre, neste ano, os municípios onde a empresa atua em São Paulo.  Segundo Maria Aparecida Draheim, coordenadora de Responsabilidade Social da Aegea Saneamento/Regional SP, a iniciativa possibilita, além do incentivo e exercício da arte, reflexão sobre a importância do povo e da cultura africana no Brasil. A mostra é uma homenagem ao alagoano Zumbi, que nasceu livre, foi escravizado aos 6 anos e depois se tornou o líder do Quilombo dos Palmares e símbolo da resistência negra.

Para Tânia Maria Siquitelli, diretora do Projeto Pequeno Cidadão Jardim Paraíso, o tema proposta pela concessionária vem ao encontro do trabalho realizado pela instituição. “O tema diversidade é sempre trabalhado em nossas atividades e veio reforçar o que a gente tem estudado com as crianças, porque elas vivem em uma comunidade onde encontram preconceito e muitas vezes não se aceitam. Durante as oficinas de arte e educação procuramos passar para eles os conceitos de respeito ao próximo e à diversidade”,  reforça Tânia Maria.

De acordo com Paulo Guerreiro, supervisor de Responsabilidade Social, a ação possibilitou a integração de vários grupos que se uniram pelo propósito de manifestar artisticamente as questões relacionadas à discriminação e equidade racial sob uma ótica diferenciada. “Pessoas que nunca pegaram no pincel, adultos, crianças, brancos, negros, gordos, magros e uma infinidade de diversidades que a gente pode levar do estereótipo ao intelecto”, reforça o supervisor.

O educador social da Casa do Pequeno Cidadão, Cid Almeida, destaca que a arte é uma ferramenta forte e interessante para integrar os estudantes dentro e fora do projeto. “Foi uma iniciativa muito bacana, pois trabalhar a identidade étnico-racial está diretamente ligado à vida das crianças, faz parte da construção da identidade delas, porque o tema aborda o preconceito, a aceitação própria e a do outro”,  afirma Almeida.

Serviço
Exposição Zumbi
Data: 13 a 31 de maio
Horário de visitação: 9h às 17h
Local: Plenário da Câmara Municipal de Matão – Espaço Cultural “Maria José Bozelli Ciarlo” (Av. Padre Nelson, 859, Centro)